terça-feira, 24 de março de 2009

Rebirth

Hoje caíste da cama.
Em sobressalto acordei e vi-te ali, a chorar de gatas.
Peguei em ti e verifiquei que foi tudo só um grande susto.

Apertei-te nos meus braços.

Aos poucos consolei o teu choro, dentro de mim.
Aos poucos foste acalmando.
Aos poucos foste-me acordando..
Não para o dia que estava a nascer mas sim para a consciência do cordão umbilical que me liga a ti.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Homenagem a um Guerreiro

video

quinta-feira, 12 de março de 2009

Peace

John Lennon - Imagine
À medida que vou crescendo, melhor te compreendo.




Nota: Já tinha dado o meu tributo a este Senhor noutro fórum mas julgo que é adequado aqui no meu Blog - além disso, nunca é demais lembrar.

Mensagem

Hoje fui à procura da Mensagem.
Já me tinha sido dito o sítio onde a procurar. Só ainda não tinha tido tempo.
E hoje fui.
Naturalmente que foi no tempo certo. No dia e na hora que tinha de ser.

Aproximei-me. Como uma águia, afastei os pombos no meu caminho.
Entrei e sentei-me. Esperei, atento.

E a Mensagem surgiu.
Claro,
não nos moldes em que eu estava à espera.

À primeira vista surge-me uma visita de estudo, irritante, incomodativa que perturbava a minha concentração em algo que deveria surgir.
Mas foi essa mesma visita de estudo que me abriu os olhos e quebrou a capa que me impedia de tomar atenção ao que quer que fosse.

E foi assim que surgiu no meu momento sagrado um D. João V.
Um misto de marketing e farsa.

Era na verdade D. João V Magnânime, Magnífico ou pequeno e gordo? José Saramago é que o sabe bem.

Mas depois vi que mais à frente ou neste caso mais acima era onde estava escrita a solução.

Era a Madeira!
Houve um Carpinteiro famoso não houve?
Os chineses também falam da Madeira - símbolo de Renascimento e Expansão.

No fundo, as escadas podem ser de Barro, Pedra, Mármore, Ouro ou Marfim mas os últimos degraus são de Madeira.
Sempre a Madeira.

A Madeira surge assim no patamar superior daquele Mosteiro e foi para mim hoje, a Mensagem.

Depois das lutas, das conquistas e das vitórias,
Depois de despidas as vaidades e as riquezas,
O que encontras é a Madeira.
A Madeira é a Ponte com que te ligas à Terra.

A Madeira é a Visão, a Iluminação.

terça-feira, 3 de março de 2009

A tristeza das coisas

Custa-me olhar para o lado e observar certas pessoas.
Deparar-me com Vazios tomados de mágoa.
Uma cólica imensa por na realidade não serem de facto Vazios,
mas sim vidas apagadas, perdidas no nevoeiro do tempo.

Vidas sem sentido, ressuscitadas no leito da morte num súbito arrependimento fora de tempo.
Um deixar que se foi...
Suspiro a suspiro, numa resignação ensurdecida.

BASTA!!

Numa perspectiva egoista e egocêntrica, sinto-me terrivelmente feliz.
Por nestes breves instantes me recordar que luto por uma vida com mais significado.